O Banqueiro Anarquista

O Banqueiro Anarquista

Sinopse

O título deste livro de Fernando Pessoa já é inquietante por si só. A ideia de um banqueiro anarquista soa absurda. Mas será mesmo? Com uma narrativa focada em um diálogo entre o eu lírico e um banqueiro, o eu lírico, aqui, apresenta-se como qualquer indivíduo que se deparasse com uma posição dessas, questionando, conceitual e praticamente, como tal anomalia poderia se tornar realidade. O banqueiro transmite a ideia de que a liberdade resulta da destruição das ficções sociais, e que todos devem se libertar. No entanto, ele mesmo em liberdade não poderia instigar ou aconselhar outro a fazer o mesmo, pois restringiria seu leque de escolhas, levando a um ato contra os próprios conceitos anarquistas. As características naturais nada têm com o anarquismo, e são delas que dependemos para nos tornar livres, como o autor demonstra com o decorrer da conversa.

Quem ouviu esse, ouviu também: